Por que as pessoas colaboram? #01 – Redução de riscos percebidos

Do ponto de vista de quem pretende colaborar com projetos de financiamento coletivo, esse sistema pode ser encarado como uma ação arriscada, caso não haja uma devida redução de riscos percebidos.

Afinal, os colaboradores estão investindo em um produtor do qual promete um determinado conteúdo ou em um produto do qual ainda não existe. Desse modo, há muitas variáveis desconhecidas.

Por isso, neste post vamos apresentar algumas orientações relacionadas às principais formas de criar uma campanha da qual garanta o sucesso esperado, diminuindo a chance de dúvidas dos colaboradores perante a sua proposta de crowdfunding. Vamos lá?

Faça a escolha certa desde o início

Segundo um estudo sobre os modelos de crowdfunding, os mais populares são: recompensa flexível e tudo ou nada. Na modalidade flexível, o criador recebe o valor investido ao final da campanha, tendo atingido a meta ou não. Já o modelo tudo ou nada, faz com que o colaborado receba o valor do financiamento apenas se a meta for atingida no final do processo. De acordo com a tese realizada por Cumming, Leboeuf e Schwienbacher, conheça a função de cada modalidade:

Modalidade flexível

Esse método é indicado aos produtores de conteúdo ou criadores de produtos escalonáveis. Essa é uma ótima chance de alcançar o objetivo — ou parte dele — quando a campanha chega ao seu limite. Levando em consideração, a possibilidade de produzir um conteúdo ou um produto, mesmo quando obtêm somente o financiamento parcial.

Produtos escalonáveis são aqueles capazes de serem desenvolvidos com algumas adaptações por conta da falta do orçamento total. Por exemplo:

  • livros divididos em subconjuntos de capítulos;
  • revistas em quadrinhos sem coloração;
  • álbuns de música com menos faixas do que o programado;
  • video games com número reduzido de níveis, menos itens ou gráficos sem sofisticação;
  • projetos sem fins lucrativos, nos quais seja qual for o valor, será bem-aceito.

Modalidade tudo ou nada

Essa modalidade costuma aumentar o senso de urgência dos colaboradores, sendo eficiente na comercialização de bens materiais impossíveis de serem produzidos de maneira gradativa.

Embora garantir parte do valor possa auxiliar no desenvolvimento do produto oferecido, os custos das matérias-primas geralmente são fixos e necessita de um trabalho operacional significativo.

Optar pelo tudo ou nada pode ser um bom negócio para evitar o risco de não entregar o material esperado pelos colaboradores por conta do financiamento inicial ser insuficiente. Claro, com parte do valor, negociar alguns descontos com fornecedores ou arrecadar o restante dos fundos de outras maneiras também pode colaborar.

Divida a campanha em custos específicos

Você sabe o motivo de muitas pessoas financiarem projetos humanitários ou campanhas de caridade? Porque os colaboradores sentem que o seu dinheiro está fazendo a diferença.

Muitos criadores de projetos descrevem sua ideia agregando todas as expectativas em um texto ou vídeo. Uma forma de mudar o ponto de vista dos colaboradores diante da sua campanha de crowdfunding é reduzindo os riscos por meio da separação dos custos.

Especifique a quantia da qual será direcionada para cada elemento do seu projeto. Ao fornecer essas informações financeiras e todo o roteiro elaborado, aumenta a confiança dos usuários e ajuda-os a visualizar o planejamento como um todo. Além disso, lembre-se de criar uma comunicação envolvente para garantir seu engajamento online.

Você curtiu este post sobre redução de riscos na percepção dos colaboradores nas campanhas de crowdfunding? Lembrou-se de algum outro fator relevante? Então deixe um comentário e compartilhe, com a gente e com os nossos demais leitores, a sua opinião e ideias sobre este assunto!